Escolha uma Página

Foto: Vaticano

O Papa Francisco realizou a tradicional oração dominical, na Praça de São Pedro, sem fiéis. Nas últimas 24h, as mortes decorrentes do coronavírus aumentaram 25% na Itália, totalizando 1.809 vítimas. A doença levou o Vaticano a restringir o acesso de religiosos aos locais de celebrações.

Também hoje, um comunicado divulgado pela prefeitura da Casa Pontifícia afirmou que “devido à atual emergência de saúde, todas as celebrações litúrgicas da Semana Santa acontecerão sem a presença física de fiéis”, uma medida nunca antes adotada. A prefeitura também informou que as celebrações serão feitas através de ‘streamings’. No domingo passado, o Papa realizou a primeira oração através das mídias.

Na oração de hoje, o Papa saudou os fiéis conectados pelas redes sociais, “no dia de hoje a Praça de São Pedro está fechada, então minha saudação vai diretamente para vocês que estão conectados através da mídia”.

Caminhada de oração
Na tarde de hoje o Papa deixou o Vaticano para rezar na basílica de Santa Maria Maior. Mais tarde, segundo informações da Santa Sé, Francisco caminhou, como em peregrinação, por um trecho da Via del Corso, uma das principais ruas de Roma, que estava vazia e seguiu a pé, acompanhado por seguranças, até a igreja de São Marcelo al Corso, onde se encontra um crucifixo milagroso que, em 1522, foi levado em procissão pelos bairros da cidade para pôr fim à peste em Roma.

O pontífice argentino rezou “pelo fim da pandemia que afeta a Itália e o mundo, e implorou pela cura de muitos doentes”, assinalou a Santa Sé. As orações também foram dirigidas “aos trabalhadores da área de saúde, aos médicos, enfermeiras e a àqueles que, nestes dias, por seu trabalho, garantiram o funcionamento da sociedade”.

Papa pede que igrejas continuem abertas
Na quinta-feira (12), a Conferência Episcopal italiana resolveu respeitar o pedido do governo do país e ordenou o fechamento de todas as igrejas de Roma, a medida era mais uma tentativa de conter a pandemia de coronavírus que atinge a Itália.

No entanto, na última sexta (13), o Papa pediu que algumas paróquias da cidade italiana permanecessem abertas e que os bispos e padres não deixassem os fiéis sozinhos durante a pandemia.

As paróquias de bairro vão abrir suas portas e programarão missas para os fiéis, enquanto as basílicas e os templos mais visitados pelos turistas permanecerão fechados. O Papa Francisco alegou que “medidas draconianas nem sempre são boas”.

Foto: https://paraiba.com.br/

Compartilhe esta postagem: