Escolha uma Página

03. Repouso no Espírito Santo: Cair sob a Unção

“O Senhor é meu pastor, nada me falta. Em verdes pastagens me faz repousar. Para as águas tranqüilas me conduz e restaura minha forças.”

Sl 23,13

 joao_1

Nosso corpo repousa quando sentamos, quando deitamos, quando dormimos. Nossa alma também repousa nos momentos de silêncio interior ou de meditação, pois em Jesus encontramos o descanso para a nossa alma (Mt 11,29). Nosso espírito também pode repousar em Deus Espírito Santo.

O que é repouso no Espírito Santo? Para entendermos esse carisma, precisamos primeiro compreender o que é “espírito”. Precisamos compreender o ser humano dentro da visão bíblica.

São Paulo afirma que o nosso ser é tridimensional: corpo (somática), da alma (sensibilidade, percepção, razão, memória, imaginação, vontade, inteligência), espírito (centro interior, a imagem de Deus).

São Paulo em 1Cor 2, 9-12 nos ensina que existe o Espírito de Deus e também o espírito do homem. O espírito humano é aquela dimensão da pessoa que tem possibilidade de experimentar as coisas eternas e onde pode habitar o Espírito de Deus. Sendo assim, quando o Espírito Santo nos leva a uma profunda comunhão com Deus por meio do repouso somos curados, libertados (Sl 22,1-2; Ez 34,15; Dn 10,8-9; At 20,7-12; 2Cor 5,13; Ap 1,10). 

A expressão “repouso no Espírito” se refere ao fenômeno do cair ou deitar-se no estado profundo de relaxamento espontâneo ou ministrado. Porém, é uma expressão limitada, pois neste estado de repouso espiritual, nem sempre caímos no chão. Pela experiência sabemos que muitas pessoas repousam de pé, como também, pode ocorrer durante uma ministração da Palavra de Deus, na pregação ou na música, estando o ouvinte acordado.

Mas, geralmente essa experiência consiste no estado de sono, mas não se trata de um simples sono fisiológico, pois o sono é diferente. Durante o repouso espiritual, permanece a consciência dos outros agindo e falando ao redor; a pessoa pode ouvir o que está acontecendo, mas não se importa com nada. Sua energia estar canalizada para o Senhor, profundamente concentrada em Deus.

O repouso pode durar apenas alguns minutos ou estender-se durante horas. É preciso uma entrega que permita ao Espírito continuar agindo em nós. Se o desejarmos, podemos interromper o repouso quando quisermos. Durante o repouso permanecemos conscientes, percebendo e sentindo tudo o que ocorre ao nosso redor. Durante o tempo do repouso as faculdades mentais ficam desativadas e levam um tempo para retornar a si. Após o repouso sente-se a necessidade de ficar mais recolhido, devido ao toque divino. Esse “torpor” pode durar minutos, horas, dias, dependendo do estado de profunda oração que se experimentou.

 

Benefícios do repouso no Espírito

 

Não há uma descrição simples do que essa experiência abrange. Geralmente os testemunhos manifestam uma concordância quanto à submissão, entrega ou repouso da atividade e dos sentidos do corpo físico para que Deus possa se manifestar mais claramente ao íntimo do homem.

Enquanto repousamos no Espírito podemos sentir as nossas funções físicas e psicológicas se desaceleram, provocando assim, um bem-estar que causa um relaxamento momentâneo, a tal ponto que cedemos o controle do nosso sistema motor e caímos flácido no chão ou permanecemos de pé, bem rígido. Podemos sentir uma sensação de poder divino ou energia que flui interiormente, manifestada pela sensação de plenitude do amor e da paz de Deus que nos envolve. 

“No repouso no Espírito pode ocorrer cura física, cura interior e curas espirituais, como libertações. Há grande crescimento espiritual por nossa maior intimidade com o Senhor. Todo nosso ser repousa no Espírito Santo e é iluminado por sua luz e transformado pelo fogo do seu amor”. Devemos acolher esse dom maravilho, pois, é um dom da sua graça para nós.

 

Fonte: O Repouso no Espírito, de Roberto DeGrandis S.S.J., Edições Loyola, Na obra, além de vários testemunhos, o autor descreve as áreas de interesse em pesquisa com médicos e psicólogos.

Dons Espituais de Serviço, de Luciano do Amaral,Edições Loyola.

Compartilhe esta postagem: