Escolha uma Página

01. O Repouso no Espírito Santo: Fundamentação Bíblica

“Mas um e o mesmo Espírito distribuiu todos esses dons, repartindo a cada um como lhe apraz”

(1Cor 12,11)

 

Giovanni-Baglione-The-Ecstasy-of-St-Francis-2-

Há vários textos nas Escrituras que nos surpreendem quanto à ação do Espírito Santo, o qual distribui os seus dons como lhe apraz. O repouso no Espírito ou o cair sob a unção do Espírito Santo é uma dessas operações. Há muitas referências no Antigo e no Novo Testamento que mostram pessoas que caíram diante de Deus e parecem ter sido atingidas pelo Seu Espírito.

O Rei Saul. Mesmo depois do Espírito do Senhor o haver abandonado por causa de sua desobediência e entrado em Davi, (1Sm 10,6.9-13), Saul teve uma experiência muito forte com o Espírito Santo. Ele mandou uma primeira escolta de soldados prender Davi na casa de Samuel em Ramá, mas o Espírito de Deus veio sobre os soldados que não regressaram a Saul; todos ficaram profetizando. Saul mandou, então uma segunda escolta que também ficou profetizando e ainda uma terceira que não pôde prender a Davi por causa do poder de Deus (1Sm 19,18-21). O próprio Saul foi prender a Davi e o “mesmo Espírito de Deus veio sobre ele, e ia profetizando, até chegar a Naiote em Ramá” (vs 23). Veja bem, já pelo caminho Saul ia profetizando tomado pelo Espírito de Deus! Quando chegou a Ramá, diz a Bíblia na versão corrigida: “E ele também despiu os seus vestidos, e ele também profetizou diante de Samuel, e esteve nu por todo aquele dia e toda aquela noite…” Veja bem! Ele ficou todo um dia e toda uma noite caído por terra, profetizando diante de Deus! A impressão que se tem é que ele ficou fora de si, deitado e prostrado diante de Deus!

O tabernáculo no deserto e o templo de Salomão. Temos dois exemplos ainda: um anterior a Saul, na edificação do Tabernáculo e outro na inauguração do Templo de Salomão. No primeiro, diz a Bíblia que “Moisés não podia entrar na tenda da congregação” por causa da glória do Senhor! (Ex 40,34-35) indicando que ele tentava entrar, mas era impelido ou jogado para fora! O segundo exemplo está em 2Crônicas 5,13-14 na inauguração do templo: “E não podiam os sacerdotes ter-se em pé, para ministrar, por causa da nuvem, porque a glória do Senhor encheu a casa de Deus”. Isto é, eles estavam ali dentro ministrando quando veio a glória de Deus; o que aconteceu depois foi que caíram debaixo da unção do Espírito, pois o texto diz que “não podiam ficar em pé” o que quer dizer que todos caíram por terra! Veja ainda 2 Crônicas 7,1-3.

O Profeta Jeremias. Quando Deus falava com Jeremias ele se sentia tonto, embriagado pelo poder de Deus. Veja o que ele diz: “Sou como homem embriagado, e como homem vencido do vinho, por causa do Senhor, e por causa de suas santas palavras” (Jr 23,9).

Ezequiel em transe ou arrebatamento apenas dos sentidos. Ezequiel teve uma experiência ainda mais forte. Ele estava reunido com os anciãos no cativeiro, na Babilônia. Era uma reunião daqueles que foram levados cativos, quando, de repente, o Espírito do Senhor o leva para Jerusalém em visões. Seu corpo fica ali, prostrado diante dos anciãos e ele passa a relatar, posteriormente tudo o que viu. Leia Ezequiel 8,1-3 com 11,24, o começo e o fim da visão. Como ficou o corpo de Ezequiel? Prostrado diante de várias pessoas enquanto era levado em espírito a Jerusalém nas visões de Deus!

Daniel. O Profeta Daniel ao contemplar o Senhor, desfaleceu, perdeu as forças e seus companheiros fugiram de medo. Tiveram medo, pois não discerniram o que Deus estava fazendo de novo naquela geração. Leia o que ele mesmo diz (Dn 10,4-11). Ele caiu não pela fraqueza de estar em jejum há três semanas, mas pela presença de Deus, porque depois, sentindo-se fortalecido, ficou em pé!

O Senhor Jesus. Bastou o Senhor Jesus dizer aos soldados, “Sou eu” e eles caíram por terra! (Jo 18,6). Será que foi uma coincidência e todos escorregaram simultaneamente? Ou uma virtude vinda do alto para derrubá-los por terra?

Os discípulos na Transfiguração. Quando Jesus foi transfigurado diante dos discípulos aconteceu este fenômeno. Eles ouviram a voz de Deus e caíram por terra (Mt 17,5-7).

O Apóstolo Paulo. Quando, Saulo, depois é que é chamado de Paulo, perseguia a Igreja de Cristo, no caminho para Damasco, cai pelo poder do Espírito Santo ao ver uma grande luz e Jesus falando com ele (At 26,13-14). Essa experiência transformou o seu coração. A experiência de Paulo foi muito grande, era um homem místico. Em outro momento ele em êxtase não sabia como chegou aos céus, como ele próprio diz: “se no corpo ou fora do corpo, não sei, Deus o sabe” (2Cor 12,1-4).

O Apóstolo João. Em Patmos, João foi dominado quando recebeu a revelação que resultou em um livro completo, o livro do Apocalipse (Ap 1,17).

À luz de todos estes textos, podemos afirmar que é possível haver manifestações do Espírito em nossas vidas das maneiras mais diversas. “É óbvio que nos tempos bíblicos não havia nada exatamente similar à uma cerimônia moderna em que as pessoas se dirigem para a frente, são tocadas e caem; por outro lado” (Norton Kelsey).

Leiamos a Bíblia e examinemos cuidadosamente a história da igreja e descobriremos muitas maneiras do Espírito Santo operar em nós!

 
Fonte de pesquisa:
O Repouso no Espírito, de Roberto DeGrandis S.S.J., Edições Loyola;
Dons Espituais de Serviço, de Luciano do Amaral,Edições Loyola;
http://www.atosdosapostolos.com.br/artigosespeciais/caindo-na-uncao-do-espirito-santo

Compartilhe esta postagem: