Escolha uma Página

18. Maria, Mãe de Deus

Do Senhor Jesus recebemos a Santíssima Virgem Maria como Mãe e modelo de obediência e docilidade ao Espírito Santo. Vamos ler Lc 1,26-56 e vamos ver a importância de Maria para nós que cremos no Senhor.

Lc 1,45: “Bem-aventurada és tu que creste, pois se hão de cumprir as coisas que da parte do Senhor te foram ditas!” O Espírito Santo por meio de Isabel (Lc 1,41) engrandece a Virgem Maria porque ela acreditou e fez a vontade do Pai. Também, o Senhor Jesus reconhece que Maria é bendita por que ela escutou a Palavra e obedeceu (Lc 11,27-28), a maternidade é conseqüência da sua fé obediente. Jesus prioriza a fé de Maria. São Lucas nos mostra que a Virgem Mãe realiza as três qualidades básicas do discípulo fiel: Ela acolhe a palavra de Deus com fé (relato da anunciação: Lc 1,28-38), conserva a palavra no coração e a medita, confrontando-a com os fatos (Lc 2,19.51) e frutifica esta palavra viva; sendo uma pessoa de intensa fé (“feliz de você que acreditou”: Lc 1,40) e a mãe do messias (“bendito é o fruto do teu ventre” em Lc 1,42).

Lc 1,28: “Entrando, o anjo disse-lhe: Ave, cheia de graça, o Senhor é contigo”. Citando São Paulo em Hb 9,4 podemos dizer que Maria é Arca da Nova e Eterna Aliança, pois, assim com a Arca guardava as tábuas da lei, Maria guardou Cristo, a nova lei; assim como a Arca guardou o Maná , o pão descido do céu, Maria guardou Jesus em seu ventre, o Pão  que dá a vida eterna. A vara de Aarão, o sinal do escolhido por Deus, também estava na Arca. Jesus, o escolhido, o Messias, também ficou nove meses no seio de Maria.

Além disso, sobre a arca repousava o poder e a glória de Deus (2Cro 6,41; 25,10-22), sobre Maria repousa o Espírito Santo e o poder do Altíssimo a envolve para gerar nela o Filho de Deus. Ela também participa da comunidade que prepara a vinda do Espírito (At 1,14; 2,1-4). Portanto, Maria é “contemplada” duplamente pelo Espírito Santo: no nascimento de Jesus e no nascimento da comunidade cristã, após a ressurreição de Jesus. Nunca houve e nunca haverá um ser humano que foi, é e sempre permanecerá envolvida pela glória e o poder de Deus, Maria é a mulher revestida do Sol que é Deus (Ap 12,1).

Lc 1,43: “Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?” No versículo 41-42 Lucas mostra que tudo o que é dito por meio de Isabel sobre Maria é uma ação do Espírito Santo, sendo assim, é o Espírito Santo que dar testemunho que Maria é bendita entre todas as mulheres e é bendito o fruto do seu ventre. Maria é a Mãe de Deus, porque Jesus é Deus, o Senhor.

Lc 2,25: “Quanto a ti, uma espada transpassará tua alma”. A espada tem um sentido metafórico. Alude a Jesus, que é a palavra-gesto do Pai (Hb 4,12s). Maria, como discípula de Jesus, não sabia tudo. Neste sentido, o relato da perda no templo confirma que Maria e José não entendem naquele momento as palavras e os gestos de Jesus (Lc 2,41-50). Por isso mesmo, ela precisa refletir e buscar o sentido dos fatos. Maria passou pelo crivo da espada da Palavra, e cresceu com isso.

Como discípulos do Senhor recebemos de Jesus Maria como nossa mãe na fé. Ela antecipa a glória de Cristo e gera a fé em nós (Jo 19,25-27; 2,1-12).

Compartilhe esta postagem: